+55 71 98880 2781

Baladas gay para ir em Xangai (Shanghai) na China


Por Breno Romanini

Xangai (Shanghai) é a maior cidade da China e também a mais cosmopolita delas. Com uma região metropolitana com mais de 24 milhões de habitantes, abriga grande diversidade de ambientes, dos mais tradicionais até ícones da modernidade. Isso pode explicar porque, em um país tão fechado em relação a questões de direitos civis, a cidade possua algum espaço para a noite LGBT. Conto aqui minha experiência em uma noite dessas.

Com uma programação apertada (muitas coisas pra conhecer em poucos dias), alertado para a pouca variedade de opções, decidi ir para a Lucca Lounge; Café, localizado na charmosa French Concession da cidade. O lugar tem bar e pista de dança, com visual e som ocidentais, mas com a maioria do público de jovens chineses. Era um sábado, a entrada cobrada era de 60 RMB (cerca de 30 reais), com direito a uma bebida. Chegamos por volta das nove e meia da noite e as coisas estavam bastante paradas. Pouca gente para um ambiente até grandinho. Tinha algo acontecendo e decidimos descobrir o que era.

Quando fui conversar com um gerente do local (dos poucos que falavam inglês lá) descobri que a maior parte do povo deveria estar em outra casa do mesmo grupo, chamada Happiness 42, situada a menos de 10 minutos de distância a pé, porque o local tinha show de drags e open bar. Ele me disse que muita gente fazia o “esquenta” em um bar e depois ia para o outro.

Não pensamos duas vezes e fomos direto pra lá (não sem antes garantir um carimbo no braço que garantia nossa entrada de volta á Lucca mais tarde). Na Happines 42, o astral era completamente outro. Não havia cobrança de entrada. O open bar custava 100 RMB (50 reais) e valia até uma hora da manhã.

As bebidas do open bar eram as chamadas “standart”, e sempre combinavam uma categoria de alcoólica (vodca, rum, gim,...) com outra leve pra diluir (suco, refrigerante,...). Tudo pareceu muito leve pro meu gosto. Não sei se porque eles serviam proporcionalmente pouca bebida alcoólica, ou se ela poderia estar "batizada”. Mas, como dava pra pedir repetidas vezes, o álcool acabou surtindo efeito!

O lugar tem visual moderno, muito neon, bar, pista de dança, música disco e pop ocidental em sua maioria. O “show de drag” se resumiu a uma única dublagem, beeeem fraquinha. A casa tinha um povo mais bonito do que a média que vemos nas ruas da cidade. De qualquer forma, impressionante como os ocidentais chamam a atenção no meio de tantos olhos puxados. Muitos olhares discretos, e alguns nem tanto. Chegamos até a ser abordados por alguns caras mais atirados do bar. Então, se você procura um lugar pra ir com objetivo de levantar sua moral e dar aquela massageada no ego, já pode reservar seu bilhete pra China!

Com o fim do open bar, a maior parte do público partiu de lá para a Lucca, que finalmente ficou cheia e animada. A noite rendeu até altas horas da madrugada!

Por fim, se você for a Shanghai e quiser curtir uma balada LGBT, vale a pena conferir esse combo Lucca + Happiness 42. Confira a programação (a Lucca tem open bar em alguns dias também), separe seu dinheiro chinês (cartões de crédito ocidentais não são aceitos), chegue cedo e se jogue noite adentro!

SITES IMPORTANTES

Lucca Cafe & Lounge: http://www.lucca.cc/

Hapiness 42: http://www.ishanghaistudio.com/happiness-42/

Breno Romanini: www.brenancio.com 


Curte aí nossa fanpage!
E tenha acesso a todo o conteúdo do Viajay!