+55 71 98880 2781

Grupo homofóbico patrocina, sem querer, festa gay na Austrália! #rindoAté2017


Um grupo homofóbico na Austrália provou que, além de intolerante, não entende muito de internet. Conhecida como The Stop Safe Schools Coalition (Coalizão para Impedir Escolas Seguras – segura que já explico), a organização tentou sabotar um baile inclusivo para jovens LGBT comprando todos os ingressos, mas, por sua própria inépcia,acabou bancando o evento – e ainda sobrou dinheiro.

A história começa com o baile The Victorian Same Sex Gender Diverse Formal (“Baile de Gala para Homoafetividade e Diversidade de Gênero”, em tradução livre), um evento promovido anualmente pelo grupo Minus18 desde 2010, em Melbourne. A ideia do baile é oferecer um espaço em que jovens LGBT de até 21 anos têm a liberdade de comparecerem do jeito que quiserem e celebrarem sua diversidade. Eles podem ir com a roupa que preferirem, dançar com quem quiserem… Ideia bacana mesmo.


PUBLICIDADE

A Minus 18 colocou no ar uma campanha de financiamento coletivo para bancar o baile de 2016. No último sábado, a campanha chamou a atenção dessa Stop Safe Schools Coalition. O grupo tem esse nome porque se opõe a uma iniciativa do governo australiano chamada Safe Schools Coalition, criada para promover a inclusão e a igualdade nas escolas para alunos e funcionários LGBT. “Acabem com essa insanidade antes que ela consuma todas as áreas da educação e tudo que nossos filhos adquiram na escola seja doutrinação, NÃO educação”, implora o grupo em sua página do Facebook.

O plano malévolo da SSSC: pedir para que seus 600 e poucos seguidores comprassem todos os ingressos para o baile. Como os ingressos são intransferíveis e não podem ser reembolsados, se eles fossem rápidos nenhum jovem conseguiria comprar sua entrada. “Quanto mais ingressos forem vendidos para nós, mais jovens vamos proteger”, explicou o administrador da página.

Claramente os homofóbicos não entenderam como funciona uma campanha de financiamento coletivo – cada cota vendida por crowdfunding apenas ajudaria a financiar o evento. Além disso, a divulgação do plano maldoso da SSC por outras pessoas fez com que o número de patrocinadores da campanha aumentasse rapidamente. A Minus 18 tinha como meta arrecadar 15 mil dólares australianos – com a ajudinha da SSSC, a organização do baile conseguiu mais de 45,5 mil dólares australianos. Os responsáveis pelo baile anunciaram em sua conta no Twitter que, graças à ação da SSSC, esse ano as entradas serão gratuitas.

“Isso só mostra como essas organizações perderam o contato com o mundo – e estão lutando uma batalha perdida”, declarou Micah Scott, executivo-chefe da Minus 18, ao jornal The Guardian. “A comunidade mostrou que não vai mais tolerar a homofobia e a transfobia, e mando uma mensagem clara para essas pessoas de que os jovens LGBT merecem sentirem-se incluídos e seguros.”

Com o comportamento covarde típico desse tipo de intolerante, o administrador da página da Stop Safe Schools Coalition se recusa a se identificar, mas afirma que recebeu ameaças. Ele (ou ela) promete organizar um protesto contra o baile, mas a organização do evento diz que não coloca muita fé nisso. “Essa página é claramente feita por alguém que tem medo de se identificar por causa de seus pontos de vista antiquados. A resposta e apoio da comunidade que recebemos mostra que, mesmo que esse protesto ocorra, eles estarão em minoria e não serão bem-sucedidos.”

A Minus 18 informou que pretende usar o dinheiro extra que conseguiu arrecadar para organizar outro baile em novembro.

Sambem mais que tá pouco! #morta #choraRecalque #migoSeusLokos


Curte aí nossa fanpage!
E tenha acesso a todo o conteúdo do Viajay!