+55 71 98880 2781

Guia Gay de Barcelona


Sem sombra de dúvidas, Barcelona é a cidade mais encantadora que já visitei. É um paraíso para qualquer turista - especialmente LGBT’s. E não faltam motivos para isso. Transporte público de qualidade em todos os cantos, um bairro inteiro lotado de bares e boates gays, sensação de segurança e, é claro, uma multidão de espanhóis charmosos e barbudos. Junte isso com um clima litorâneo e temos a cidade dos sonhos.

L’Eixample - O bairro LGBT
É o bairro gay de Barcelona. Apesar da cidade inteira ter um clima de respeito à diversidade sexual, é no L’Eixample (ou Gayxample) que você vai encontrar os principais bares, restaurantes, lojas, saunas e boates dedicados ao público LGBT. O bairro é central e super fácil de chegar, basta descer nas estações “Universitat” ou “Urgell” (o metrô atravessa a cidade INTEIRA).

Onde ficar
Sempre recomendo ficar o mais próximo possível dos bares e boates (não é em todo destino que podemos arriscar com transporte público depois de ter curtido uma noitada), mas essa regra não se aplica a BCN.

Um dos bairros mais lindos e bem localizados é “El Barrio Gótico”. A região já foi ocupada por romanos, católicos, mouros vindos do Marrocos (mulçumanos) e judeus. É o coração da capital da Catalunha, local em que a cidade começou a ser fundada. [A Catalunha é uma comunidade autônoma dentro da Espanha formada por quatro províncias: Barcelona (capital), Girona, Lleida e Arragona. Eles têm bandeira e idioma próprios - mas também falam espanhol e inglês - e até hoje lutam pela independência].

Além de ser super charmoso e ter comércios interessantes em cada esquina, o Bairro Gótico fica ao lado das Ramblas, perto de Barceloneta e também do próprio L’Eixample. Fiquei hospedado no Kabul, um excelente hostel dentro da Plaza Reial. Chegava da balada quando já estava amanhecendo ainda tinha gente curtindo a Plaza. (São 25 minutos de caminhada do hostel até o L’Eixample e em BCN você anda que nem percebe. Além disso, nos fins de semana o metrô funciona 24h).

O hotel “gay friendly” mais famoso de Barcelona é o Axel, que fica no L’Eixample. (A rede Axel também  se estende a Berlim, Las Palmas e no próximo ano será aberta uma unidade em Madrid. No site eles se definem como um hotel gay, porém "heterofriendly". Parece que o jogo virou, não é mesmo?). Mas em vez de ficar hospedado no Axel e ter que gastar a mais por isso, vale a pena ir lá durante o verão para curtir as festas abertas no Sky Bar, a famosa terraza do hotel.

Baladas - A noite catalã
Uma das coisas mais importantes da noite de Barcelona é entender o horário de funcionamento. É o mesmo esquema de Madrid: as boates abrem às 2h, bombam a partir de 3h e seguem até amanhecer. Por sinal, é comum ver as pessoas saindo das baladas e irem para as saunas (que têm uma mega estrutura), até mesmo para esperar a hora do metrô. A mais famosa é a sauna Casanova, que fica no mesmo quarteirão dos bares (no Eixample), tem três andares, festas temáticas e funciona 24h.

Os pubs abrem cedo (por volta das 19h) e seguem até às 3h, quando os espanhóis seguem para as boates. Os pubs gays mais famosos são La Chapelle, Cangrejo, Museum, Versalles, Nitgh, Punto e Atame (todos no Eixample).As duas bates principais da cidade são a Metro Disco e La Arena. A segunda é a mais famosa, onde os turistas geralmente vão e que concentra um público mais teen. É claro que a programação vai depender do dia da semana, da festa, etc. A Metro tem uma pegada mais underground e a vibe é “Jhonny, la gente está muy loca”.

Dica: Vá para os pubs fazer o esquente e descubra com os garçons qual a balada do dia. Eles sugerem drinks, bebem com você e ainda dão cartões com desconto para as boates. E cada entrada dá direito a um drink!

Como nem sempre as boates são as melhores opções para a noite, o Viajay separou algumas dicas exclusivas de baladas que bombam em Barcelona e estão fora dos roteiros turísticos:

A PopAir é uma festa que reúne espanhóis barbudos fãs de música pop e super-heróis. A balada acontece uma vez por mês na Sala Tango (adivinhe onde?! Isso mesmo.. no L’Eixample!!!). A música varia de ABBA a Guns N' Roses até Beyoncé e Nick Minaji.

Outra festa popular que acontece uma vez por mês é a Tanga Party. As baladas lá começam tão tarde que até às 2h30 a entrada é gratuita. Depois disso, custa 10€ com direito a um drink de consumação. A festa rola no Under Club (tem uma estação do metrô em frente à balada) e conta com dois espaços: um de House e outro com música Pop. A festa Caramba! é uma típica balada espanhola. Com muito raggaeton (conhece El Taxi?) e Pop, a Caramba ocupa um antigo teatro bem no meio das Ramblas todos os sábados. (Até 1h30 a entrada também é gratuita. Depois de 1h30, custa 10€ com direito a um drink ou 15€ com duas bebidas).Festivais
Barcelona celebra o Orgulho LGBT duas vezes no ano com imensos festivais. A Parada Gay ocorre no final de julho e as festas começam uns dez dias antes do desfile. E tem de tudo: de festa para fetichistas até exposições fotográficas mais cult.

O outro grande evento é o “Circuit Festival”, maior festival de música eletrônica do mundo voltado para o público LGBT. E não é exagero. A festa começou em 2008 e cresceu tanto que passou a englobar Ibiza na programação. O Circuit Festival acontece no alto-verão, geralmente em agosto, e dura 14 dias. (Assim que termina em Barcelona a programação recomeça em Ibiza).

Parte cultural
Como nem só de balada sobrevive um viajante, Barcelona é um prato cheio para quem deseja conhecer parques, centros culturais e obras de arte. Lodo de cara dá para perceber que a cidade respira Gaudí, um dos arquitetos mais famosos do mundo. A obra mais importante a ser visitada (e que impressiona por dentro e por fora) é a Sagrada Família. O projeto fabuloso foi iniciado em 1882 e só deve ficar concluído em 2026, centenário da morte de Gaudí.

Dica: Evite as filas quilométricas (no inverno chegava a levar 2 horas para entrar) e economize grana. O bilhete normal custa €18, mas se você comprar pela internet sai por €15 e dá para marcar o horário que vai entrar, sem pegar filas. Para não ter que programar a vida inteira em função desse passeio, você pode fazer isso na hora, através do celular e com o wi-fi de lá. Se demorar um pouco a hora marcada, é só dar uma volta perto e ficar de olho no relógio.

Além disso, as outras obras importantes de Gaudí são o Parc Güell, a Casa Milà (La Pedrera) e a Casa Batló. As duas últimas ficam no meio de BCN e é capaz de esbarrar por elas andando pela cidade.Outra ótima programação é passear pelas Ramblas, a imensa e arborizada avenida de Barcelona. É o principal cartão postal da cidade, então tem muitos estabelecimentos voltados para os gringos (e que abusam do preço, é claro), mas é um local que reúne artistas, feirantes, cafés, restaurantes, livrarias e floriculturas - ou seja, dá para sentir a vibe da cidade. No meio da Ramblas, fica a Boqueria: um mercado municipal maravilhoso e parada obrigatória para fazer um lanche ou mesmo uma refeição. Mas atenção ao andar pelas Ramblas! Com a grande quantidade de turistas (principalmente no verão) são comuns relatos de furtos com batedores de carteira.

Sitges
Como se não bastasse todas as opções dentro de Barcelona, ainda existe um balneário gay a poucos quilômetros de distância do centro catalão: Sitges. Acredito que seja a cidade mais gay-friendly da Espanha. Foi lá que surgiu a primeira discoteca gay do país, ainda na década de 80 e hoje em dia tudo brilha em Sitges com as cores do arco-íris. Um dos estaques é a praia exclusivamente LGBT "Playa de La Bassa Rodonae". Se você for mais liberal pode se arriscar ainda na de nudismo Playa del Muerto (também gay).

Sitges é movimentada o ano inteiro e tem festivais LGBT’s durante os feriados do Carnaval, Páscoa e Corpus Cristhi. Em junho, acontece a Parada Gay e no final de setembro rola ainda o Bear Week: duas semanas de festas dedicada aos bears. Se você viajar durante o verão europeu (junho - setembro), não tenha dúvidas: inclua Sitges no roteiro nem que seja de ‘bate-volta’. A viagem de ônibus entre Barcelona - Sitges dura cerca de 1 hora e é feita através da Mon-Bus. As saídas de BCN acontecem a partir de 8h20 e dá para voltar 21h de Sitges. O bilhete custa apenas €4.

Praias
As praias de Barcelona formam uma atração à parte. Barceloneta lembra um pouco as praias do Rio de Janeiro (com uma estrutura urbana bem superior). Pessoas andando de patins, bicicleta e skate pelas largas calçadas; espanhóis jogando vôlei na areia; artistas se apresentando ao longo da Orla. Além de tudo isso, no Porto de Barceloneta dá para apreciar uma vista incrível das centenas de veleiros brancos cruzando o azul do Mar Mediterrâneo. Mas também é a praia mais cheia de todas - pode virar “farofa”.

A praia de Mar Bella é o point gay! É um pouco distante, mas dá para chegar de metrô (tem que soltar na estação 'Poblenou' e andar uns 20 minutos). O lado direito de quem olha para o mar é o de naturismo gay, para quem quer pegar um bronzeado completo (literalmente). Já o lado esquerdo bomba ao redor dos chiringuitos (bares de praia). O mais famoso é o Mochima, que se destaca pelo line-up de DJ’s.

Todo o transporte público de Barcelona é integrado. Uma boa dica é usar o Maps do Google, que diz a melhor linha e qual o próximo horário. O site do TMB também é fantástico e só falta te colocar dentro do metrô ou ônibus.

Dica: Compre o bilhete do metrô para 10 viagens (acredite… você vai usar rápido) ou calcule o custo-benefício do bilhete ilimitado por dias (é chamado de Hola, Barcelona!). A passagem individual custa 2,15€. O bilhete com 10 viagens sai por 9,95€ e pode ser usado por mais de um passageiro. Já o ‘Hola, Barcelona’ é individual e pode ser usado quantas vezes quiser pelo mesmo passageiro. A passagem para 2 dias custa 14€. 3 dias: 20€. 4 dias: 25,50€. 5 dias: 30,50€. Guarde o bilhete até o fim do trecho! As fiscalizações são raras, mas acontecem e a multa por não apresentar o bilhete do transporte que você está usando pode chegar a 600€!

Curtiu as dicas? Agora aperte o play e sinta a vibe da cidade!A Espanha é hoje o destino gay mais procurado na Europa. Segundo o Ministério do Turismo espanhol, só em 2015 quase 7 bilhões de dólares foram deixados por turistas LGBT’s no país. E não é pra menos! Além de Barcelona, Madrid é uma cidade que sabe receber muito bem esses turistas. E é claro que o Viajay também tem um guia exclusivo para a capital espanhola!

Veja também:
Guia Gay de Madrid
Roma - Comer, Rezar e Amar (versão LGBT)


Curte aí nossa fanpage!
E tenha acesso a todo o conteúdo do Viajay!