+55 71 98880 2781

Você sabe o que é a 'Síndrome de Paris' e como ela atinge o emocional dos viajantes?


A síndrome de Paris é uma condição psicológica experimentada quase exclusivamente por turistas japoneses que ficam desapontados quando a cidade das luzes não está à altura das expectativas românticas. Sim. Isso mesmo que você leu.

A síndrome, considerada um caso extremo de choque cultural, causa sintomas como um estado delirante agudo, alucinações, ansiedade, tonturas e sudorese, como documentada por revistas médicas.

Mas então, por que Paris faz com que os turistas japoneses fiquem doentes?


Já pensou em morar e estudar fora do país? Londres? Sydney? São Francisco? Clica aqui e confere nossa seção e pacotes de intercâmio para essas cidades maravilhosas


O jornal psiquiátrico francês Nervure cita que o desapontamento que muitos visitantes sentem é causado pelas expectativas super romantizadas de Paris como uma cidade de amor, moda e pessoas glamorosas.

A cidade é um destino turístico popular devido ao fascínio do Japão com todas as coisas francesas. Cidades como Tóquio estão repletas de pastelarias francesas e lojas de moda francesa de luxo, como Chanel e Louis Vuitton. Cerca de seis milhões de japoneses visitam a França a cada ano. Na cultura popular japonesa, Paris está associada a filmes românticos, como Amelie, e é idealizada como um conto de fadas, com ruas de pedregulho e tudo perfeito.

Quando a realidade da moderna cidade de Paris se instala, com seu serviço notoriamente grosseiro e confusos transportes públicos, alguns turistas simplesmente não conseguem lidar com suas expectativas sendo destruídas. Combinado com exaustão, barreiras linguísticas e barreiras culturais, saudade e choque cultural podem causar sérios problemas psicológicos.


Já pensou em morar e estudar fora do país? Londres? Sydney? São Francisco? Clica aqui e confere nossa seção e pacotes de intercâmio para essas cidades maravilhosas


A embaixada japonesa em Paris repatria cerca de 20 turistas por ano, enviando-os para casa com um médico ou enfermeiro para garantir que eles se recuperem do choque. A embaixada também administra uma linha telefônica com ajuda 24 horas para expatriados que sofrem a síndrome. Embora as baixas expectativas possam impedir o choque, o professor Hiroaki Ota, que primeiro identificou a síndrome há mais de 25 anos, diz que há apenas uma cura. A reparação permanente é embarcar em um voo para casa e nunca mais voltar para Paris.

Bon voyage.


Curte aí nossa fanpage!
E tenha acesso a todo o conteúdo do Viajay!